Almanaque dos Conflitos

Forças Populares 25 de Abril (FP-25), guerrilha urbana comunista portuguesa

Bandeira das Forças Populares 25 de Abril (FP-25)

Bandeira das Forças Populares 25 de Abril (FP-25)

As Forças Populares 25 de Abril (FP-25), foi uma organização paramilitar de orientação política de extrema-esquerda, que existiu em Portugal durante o ano de fundação, 28 de março de 1980 até 1987. Parte dos integrantes eram do grupo extremista Brigadas Revolucionárias, a ala armada do Partido Revolucionário do Proletariado. Formados pelo ex-capitão do exército, Otelo Saraiva de Carvalho, e Gobern Lopes.

Saraiva de Carvalho, haveria de deter o comando do COPCON (Comando Operacional do Continente).

Eram o braço armado do grupo político Força de Unidade Popular (FUP). Acreditavam que os caminhos da Revolução dos Cravos, estava a se desviar do foco primordial, que seriam sérias modificações na estrutura da sociedade de Portugal, bem como a implantação da revolução comunista no país.

Guerrilheiros urbanos comunistas das Forças Populares 25 de Abril (FP-25)

Guerrilheiros urbanos comunistas das Forças Populares 25 de Abril (FP-25)

Nos quase 10 anos de atividades de guerrilha urbana, lograram tirar a vida de aproximadamente 18 pessoas. Em ataques realizados com o uso de explosivos contra quarteis e bases militares, bem como ataques armados contra as forças de segurança portuguesas, como policiais e militares das forças armadas, além de assassinatos seletivos de membros da política local. Foram contabilizados aproximadamente 66 atentados a bomba.

Realizam no dia 20 de abril de 1980 a apresentação pública da organização com a detonação de dezenas de bombas por todo o país, juntamente com o Manifesto ao Povo Trabalhador.

Brasão dos extremistas de esquerda das Forças Populares 25 de Abril (FP-25)

Brasão dos extremistas de esquerda das Forças Populares 25 de Abril (FP-25)

Em maio de 1981, disparam um míssil contra o Royal British Club, em Lisboa, em solidariedade ao Exército Republicano Irlandês (IRA). No dia 25 de novembro do ano de 1984, investem contra a embaixada dos Estados Unidos, na capital, Lisboa. Em 27 de janeiro de 1985, os alvos são seis navios da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

Também se utilizavam de roubos a bancos e carros-fortes, em busca de dinheiro para financiamento da campanha armada contra o governo português. Em fevereiro de 1986, o Diretor-Geral dos Serviços Prisionais Gaspar Castelo Branco, acaba morto pelos guerrilheiros urbanos das Forças Populares 25 de Abril.

Otelo Saraiva de Carvalho, um dos principais nomes da FP-25

Otelo Saraiva de Carvalho, um dos principais nomes da FP-25

No mês de fevereiro de 1985, detonam oito bombas incendiárias no estacionamento da força aérea da Alemanha Ocidental, que estavam estacionados numa base aérea portuguesa na região da cidade de Beja.

Otelo Saraiva de Carvalho, que havia sido detido pelas autoridades portuguesas, é condenado pela justiça a 15 anos de detenção em maio de 1987. A última morte da FP-25, acontece em agosto do mesmo ano. Se trata do Álvaro Militão, em Lisboa. Saraiva de Carvalho seria libertado em agosto de 1989.

Finalmente em 1996 o presidente da república, Mário Soares, concede perdão presidencial a todos os integrantes comunistas do FP-25.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s